Guarda-rios

Enquanto esperas horas a fio, escondido, quase sem te movimentares, pela chegada de uma ave que acreditas ou mesmo estudaste, vai passar por ali, dás a ti próprio a oportunidade de conheceres melhor o teu próprio eu, o ar que respiras, todo o ambiente que te envolve e ao mesmo tempo estares presente, ali. Isso é Sublime. Quando segues com a câmara uma ave em voo até conseguires captá-la, bem focada, é como se de alguma forma estivesses a voar com ela e finalmente abraçá-la. Isso é Grandioso. Mesmo apanhares de surpresa um pardalito que se banha no riacho ou um outro que brinca contigo às escondidas entre os ramos de uma árvore, são momentos de Suavidade. É a natureza a convidar-te a te envolveres com ela de forma mais íntima e a partilhar contigo os seus segredos e isso é Divino.